Fim do Caminho

É melhor no começar ou no acabar?

Nascemos chorando

Acalmamos mamando

Com o seio materno vamos crescendo.

Gatinhar é impulso

Primeiro caminho feito.

Subir descer

É treino para andar correndo.

Vem a autonomia, rumo por perto,

A tenacidade aplana o resto.

Nas veredas apertadas, fazemos pausa

E questionamos a causa:

Encontro para mãos dadas.

Os filhos, outros caminhos

 De pavimentos aplanados

Paredes construídas

Existências conseguidas.

 Subir o monte vem a fadiga

Assim, o dever obriga.

 Horizonte mostra: Obrigação cumprida.

O último alor não causa ferida!

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s