Abelha

Gostava de ser abelha

Andar de flor em flor.

Deixaria de ser aselha

Mal sentindo a dor!

Daria mel ao faminto

E saciava os abelharucos,

Do  beija – flor ouvia muito

A  procura dos sucos.

Voar. Voar, voar …

Quilómetros de distância.

Para os néctares encontrar

Ia perdendo a inocência …

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s